Uma kombi cheia de história

Estou vendendo minha kombi para quem tiver uma boa ideia do que fazer com ela, veja todos os detalhes e mande a sua ideia.

Velocímetro

Agora é a chance para você dar o primeiro passo para aquela ideia que ninguém dava bola.

Mas antes de dar a partida, é importante entender um pouco melhor alguns detalhes, tentei explicar nesse vídeo, mas não durma por favor, deixe para dormir na kombi, que alias, é muito gostoso.

Bom, agora começa a parte chata, principalmente para quem vende e neste caso para quem compra também, pois a kombi não é um exemplar de carro com muitos equipamentos de série, e muito menos opcionais. Quando comprei ela estava com 60 mil km rodados, mas sinceramente, duvido que fosse isso mesmo, hoje está com 117 mil. Tentei revirar a kombi do avesso para mostrar todos os pontos negativos (podres), positivos e outras coisas que inventei. Se estiver faltando algo ou ficou com dúvidas, me pergunta.

Oxidantes

Alguns pontos de ferrugem mandei arrumar, outros eu mesmo arrumei, vá se acostumando é um carro adorado pela comunidade dos enferrujantes. Tentei caçar todos eles para mostrar nas fotos, mas tenho certeza que você vai achar novos.

Coisas boas

A Kombi é 2003 e estou com ela desde 2009, antes disso ela aparentemente passou por aventuras, pois tive que arrumar várias coisas, além disso fiz outras coisas para deixar a vida mais agradável dentro dela. São coisas simples mas essenciais para novas aventuras.

Um dos motivos que sempre foi muito difícil de vendê-la é pela quantidade de experiências interessantes que ela me proporcionou, para você se empolgar um pouco mais, ou desistir de vez, fiz uma playlist de algumas aventuras com ela.

Meia
roda

Diego Dotta

Sempre acreditei que as boas ideias são muito valiosas e deveriam ser compartilhadas. Vou investir na sua ideia com o que tenho.

Empurrãozinho

Se atolou no seu mar de ideias? Aproveita esse empurrãozinho de boas ideias que estas pessoas poderiam ter mandado.

Onde e quando

Quem comprar já tem um primeiro destino, tem que vir para Floripa para ver como uma ventarola realmente faz a diferença num dia quente, mas se você já é de Floripa e acha que não tem como ficar mais calor, então é porque ainda não conhece o Baixo Vale do Ratones, onde a Kombi está bem escondida.

Ou eu posso ir até ai? Bom, nos encontramos dia 30 de março então!

Resultado

E a primeira pessoa a comprar uma kombi pagando com uma ótima ideia é…

Fui lá entregar a kombi e conhecer a turma, foi uma experiência impressionante, só lá pude perceber o quanto essa venda foi transformadora, para mim e para quem comprou. Em menos de 1 semana até produziram um material de boas práticas para motoristas e passageiros da kombi.

É isso, vou para Bahia, talvez volte qualquer dia, tchau.

 

todas ideias

20 ideias já foram enviadas, legal!

  1. Rodas e Rimas A proposta primeiramente seria levar o Movimento Hip Hop a todos os “cantos” de Santa Catarina sem custo nenhum para a população, com o objetivo de apresentar a cultura para quem desconhece e mostrar o que está por traz do Break dance, do Rap e do Grafitti. Aonde entra a importância da Kombi nessa história? Ela nos daria mais independência, autonomia e liberdade, pois não precisaríamos enfrentar o tran$torno de conseguirmos grandes espaços, palcos, mega aparelhagem, iluminação, nem nada disso. Necessitaríamos apenas de um local onde pudéssemos estacionar a Kombi, já que a fonte de energia, a aparelhagem sonora básica para ser escutado, os materiais para os grafiteiros, o tapete pros b boys e b girls e os próprios artistas ja estariam dentro dela. O projeto tem uma proposta social no sentido de usar a linguagem das ruas (utilizadas nas letras de rap, no grafitti e no break) para se comunicar com os jovens, abrindo novos horizontes e despertando outros interesses em quem muitas vezes tem poucas referências saudáveis ao seu redor. Outro ponto interessante seria trazer mais informação para o local visitado e descobrir talentos através de um “momento sarau” que daria a oportunidade das pessoas da própria comunidade manifestarem suas habilidades, poéticas, cênicas, musicais, etc. A ideia basicamente era essa ou seguiria nesse rumo... espero que bote fé nela e nos dê esse apoio!

    Caime

  2. Olá, meu nome é Raquel e eu tenho 18 anos. Sou uma pessoa apaixonada por kombis e meu sonho é ter uma. Eu sou uma pessoa muito envolvida com minha igreja e faria um bom uso dela transportando pessoas. Além de usar para levar a galera (jovens) lá na praia e fazer atividades diversificadas. Em muito seria útil ela. Tenho objetivos como ajudar pessoas carentes, com trabalhos sociais que conheço, levar alimentos, brinquedos e muitas outras coisas. Eu amo ajudar as pessoas e essa kombi completaria a minha vontade, realizando. Sem contar que eu cuidaria muito bem dela e provavelmente pintaria ela de vermelho em baixo e deixaria o branco em cima, mas isso são apenas detalhes ;D. Fica com Deus, Raquel.

    Raquel

  3. Olá Diego, No momento que encontrei seu site estava procurando uma Kombi para comprar e realizar um sonho e cara, adorei teu projeto! Assisti todos os 20 vídeos e sou muito grato por compartilhá-los conosco. Eu moro em SP, um deserto alimentar. Eu quero comprar sua Kombi para dar aulas de agricultura urbana itinerantes em escolas, institutos e comunidades. Eu sou Administrador de Empresas e Permacultor, ensino uma técnica de cultivo que chama Aquaponia, como um aquário de peixes ligados a uma horta, produzindo tanto hortaliças quando peixes comestíveis. É um sistema compacto que cabe na Kombi e vai ajudar na logística de visitar as escolas e apresentar o sistema. Eu não quero vender os sistemas, eu quero ensinar as pessoas a produzirem seus próprios alimentos. Eu quero que as crianças saibam de onde vem o alface, como se planta, como se cuida, quando se colhe, além disso este sistema permite a abordagem de todas as matérias escolares, além de permacultura, agroecologia, reciclagem, culinária, nutrição, economia, geração de renda, entre outros. Eu quero que as pessoas possam comer alimentos orgânicos, vivos e frescos sem sair de casa ! Eu quero que as pessoas sejam mais livres e mais felizes. Adoraria falar mais sobre o projeto. Sou grato, que seja bom para todos !

    Claudio

  4. Parabéns por esta visão diferente de encarar o mundo! Não apenas vender a kombi, mas sim plantar um futuro, uma idéia. Nos tempos onde copo, carro e até pessoas estão sendo descartáveis, sua iniciativa é deveras fértil. Bom, pelo meu papo já deve ter dado pra sacar que sou ambientalista. Mas antes de me passar por biodesagradável, apresento logo o projeto Itinerante que faço parte. Viajamos desde 2007 pelo Brasil e mundo afora fazendo peças de teatro ambiental, já tivemos mais de 30,000 espectadores, nossa meta é chegar na capacidade Maracanã, 80.000 pessoas, antes de nos aposentar. Este nosso projeto se chama Robin Hood, ele se mantém tirando dos ricos e dandos aos pobres, e acredite só: ainda não fomos pegos pelo Xerife de Nothingham! Por muito tempo, nosso fiel transporte foi o lixo-móvel, um fiestinha vermelho, porém ele já está entrando em decomposição, o assoalho está carcomido, e o freio é alá Flinstons. Chegou a hora de arranjar um transporte melhor pra continuar o projeto Robin Hood e continuar indo onde um ecochato nunca foi antes! http://www.iam.net.br/#!robinhood/c1ls9 diariorobinhood.blogspot.com.br

    Jay

  5. Ola, minha ideia é bem simples, basica, e comum a todos os hippies adoradores de kombi nos anos 70. Eu toco em algumas bandas e estou trabalhando em cima de um projeto na Estrada, com outros malucos que conheço , um power trio, de rock n roll psicodelico, vou pegar a kombi, pintar em camadas, comprar um gerador e carregar nela o suficiente para levar um show itinerante pelo brasil, equipamento de som, musicos e instrumentos, procurando lugares onde podemos receber, dinheiro, cerveja, ou simplismente carinho da comunidade quando essa nao tiver o que oferecer, levaremos junto algumas caixas de pale ale hononima da banda para levantar mais alguns trocados. levaremos talvez barracas, pois a vida na estrada nem sempre permite conforto. o ideial seria um onibus, um motorhome, mas tem que começar do solo, entao essa é a ideia, nem penso em parcelar, pois uma vez na estrada nao saberemos o dia de amanha, apenas muito amor e muito rock n roll.

    Andre

  6. Várias mulheres. Um sonho. Nós precisamos de um espaço para montar um laboratório comunitário para ensinar garotas a programar. É isso. Explico: eu quero transformar a sua kombi em um laboratório hacker para meninas e mulheres. Totalmente gratuito. Seguindo a linha de raciocínio do Ônibus Hacker (http://onibushacker.org/), gostei da ideia da kombi como um laboratório móvel, porque é possível ser um pouco mais justo e levar o conhecimento a outros lugares. "Se elas não vão até a o conhecimento, o conhecimento vai até elas". O MariaLab (www.marialab.com.br) é um protótipo de hackerspace, um espaço gratuito para as pessoas compartilharem e executarem seus projetos em tecnologia/arte/ciência. Já existem alguns hackerspaces pelo Brasil, e agora estamos trabalhando a ideia deste novo, com a proposta de dar foco para o desenvolvimento de tecnologia entre as mulheres. O espaço ainda não tem espaço (sim, pode rir!), estamos arrecadando doações para mantê-lo e para criá-lo. Nunca pensei em fazê-lo em uma kombi, mas a ideia é a MELHOR DO MUNDO. Sério, muito muito muito melhor do que alugar um espaço em uma cidade e centralizar as coisas lá em um lugar fixo. Com a kombi, nós levamos o MariaLab pelo Brasil inteiro, ou até para fora. Ela vai rodar muitos quilometros. Inclusive a kombi vai acabar se chamando Maria. Não tem jeito. Deixa eu equipar a Maria vários hardwares, painéis de led, e povoa-la com muitas mulheres? :) Já tenho um cronograma de cursos gratuitos - a ideia é que o MariaLab seja uma ONG ou Associação - para comunidades carentes, e não carentes, pelo Brasil. E agora já estou montando na minha cabeça um cronograma de cidades para levar a Maria. Vende a Maria para mim. Vou fazer um curso de mecânica para cuidar dela direitinho da estrada.

    Vanessa

  7. Estimado, Em primeiro plano agradecer o fato de você compartilhar teus sonhos, aventuras, sobretudo os valores intangíveis que ela lhe proporcionou neste tempo presente passado. Entrando na sua proposta criativa, eu desejo adquirir a boa e generosa kombosa para promover cinema as comunidades - partindo dos Ratones a caminho do Saco da Ribeira, e Ilha adentro com sessões semanais - Claro, depois de algumas adaptações: Em cima do teto deveremos instalar uma estrutura metálica ou alumino reforçado para estender a tela mágica de onde se vê a imagem projetada, Se e suporte para instalar equipamento para retro-projeção - sem esquecer as caixas de som P.A, + um bom amplificador. Acho que bem adapatada, e penso solicitar este projeto ao designer Célio Teodorico - professor de design na UDESC, ou outro amigo dentre os tantos que por ai deixei. Resolvida a forma, partimos para o conteudo - o primeiro passo é adquirir da Programadora Brasil o lote de 120 filmes de cineastas brasileiros, o catálogo já indica os releases e as histórias dos filmes, que devem ser discutidas com a comunidade ou a kombosa com alto falante passará na comunidade anunciando o filme com dados e sinopse para despertar a curiosidade de todos. Agora na verdade! Acho que você não deveria vender sua kombi. Quem sabe transformá-la nesse cinema transcendental itinerante Ilha adentro, Ilha afora. Se tem o que ser será! Tem que ser e sei que vai ser. Se é prá acontecer que seja agora. Quem sabe criar o projeto cinemadakombi - no mesmo formato ela própria passa a contar as suas próprias histórias e a cada lugar que chega para contar esta sua história (a dela kombi) sai com mais uma história do próprio lugar, e assim vai se auto alimentando - nascendo e renascendo a cada parada para exibição da sua própria trajetória, ao mesmo tempo em que revela a identidade cultural da comunidade que se vê projetada na tela do cinemadakombi - acho que fica melhor cinemanakombi - Desta vez o cenário deve ser Santo Antonio de Lisboa entrevistando o Janga sobre os Mitos e Magias da Ilha, passar pelo Peninha rever a obra do Hassis , tudo isso com imagens das obras e depoimentos do Janga e outros representativos da cultura da Ilha de Desterro. Esse jeito de viver, a cada dia - a cada temporada que passa - vai ficando mais distante e se perdendo o jeito simples - porém sofisticado - do modo que vivem os queridos manézinhos da ilha, que não se encontram mais na praça, esta já tomada pelos turistas, ou pela ausência do Estado com ações culturais que falem das suas raízes, não eventos e shows pirotécnicos que mais soam balcão de entretenimento na e da gestão pública. A maior riqueza da Ilha está adentro da ilha, Ratones, Sambaqui, Freguesia de Santo Antonio de Lisboa, Comunidade do Canto da Lagoa, a presença de Lina Bo Bardi na Igreja da Lagoa da Conceição - filme antológico da cultura brasileira, nunca mostrada para os próprios moradores. Como a gente ficou sabendo disso: Vou contar! Quando coordenei a exposição de Lina Bo Bardi aí em Florianopólis no Museu de Arte de Santa Catarina - o querido MASC - juntamente com o Janga, com a Dulce Maia, com André Schimidt, Marcelo Coelho e levamos para homenagem a irmã de Lina bo Bardi para passear de barco em visita a comunidade do Canto da Lagoa. Quem seria a kombosa parar num lugar - abrir a porta, levantar a tela, ligar a caixa de som, anunciar para comunidade que nesta noite vai ter lua cheia, o sol continuará brilhando e nesta noite, tal como disse o poeta: menor que o nosso sonho não podemos deixar de ser. Paulo Leminski - pois não é possível abdicarmos da vida né! Pois então! não venda a kombi não. Vamos transforma-la no cinema transcendental!? Podemos aspirar recursos junto ao BADESC - conversamos com a Lena Peixer, com Janga, com quem mais seja necessário. Você ao invés de vendar a kombi - cria a associação cultural cinemanakombi e desse modo é possível aspirar recursos para adapta-la, incrementar equipamentos, contratar pessoas para suporte (motorista, projetor, técnico de som e imagem, etc.) E o mais legal - ainda - pode se pensar em levar oficinas atividades técnicas de cinema e outras competencias para os meninos e meninas das comunidades. Depois de percorrer todas a comunidades da Ilha, hora de partir para o continente. Depois recomeça o roteiro e assim Deus Se Come-se. quando Zeca Pires souber vai se ligar também nesta história que acabei de contar. Pensa aí. Não vende a kombi não. Primeiro porque qualquer quantia que lhe ofereçam está muito aquém do saboroso café matinal com tua amada, namorada, esposa, companheira...sei lá! tem gente que é parte inteira da gente e fica dificil enquadrar num escaninho né! As vista panorâmicas da Serra do Rio do Rastro, tudo pode ser mostrado no cinemanakombi....Ah! tem que pensar no pipoqueiro em lugar estratégico na praça. abraço fraterno procê.

    Pedro

  8. Opa, resumindo? A gente montou o Ônibus Hacker: http://onibushacker.org/ (casa de ferreiro, espeto de pau) http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2013/06/onibus-hacker-tem-programacao-cultural-e-intervencoes-artisticas.html http://oficinainclusaodigital.org.br/ultimas-novidades/onibus-hacker-uma-turminha-do-barulho-aprontando-altas-confusoes-na-ccmq http://noticias.ufsc.br/2013/05/ufsc-recebe-onibus-hacker-nesta-segunda-e-terca/ http://blogs.estadao.com.br/link/onibus-hacker-pronto-para-mudar-a-direcao/ Eu agora estou viajando menos - tem outra filha pequena vindo ai - e acabo de montar o LabHacker ( http://labhacker.org.br/ ) em São Paulo. A ideia é derivar do Ônibus Hacker, uma Kombi Hacker - capaz de fazer viagens mais curtas e focadas e circular pela própria cidade e grande São Paulo. Tem também o Guilherme Cianfarani, da Quequeré Jogos ( http://quequere.com.br/ ) e membro do Ônibus Hacker ouviu falar da história e quer usar a Kombi Hacker para fazer eventos de rua com jogos de tabuleiro. []'s Pedro Markun

    Pedro

  9. A ideia surgiu em um dos tantos (e rotineiros) encontros na casa de uma de nós quatro, e, em cerca de uma hora, já sabíamos o que queríamos: vender “tragolés” para comprar uma kombi a fim de irmos juntas para o Uruguai. Nenhuma de nós, cientistas sociais com fome de vida e de mundo que somos, tínhamos a mínima noção da dimensão que o Projeto Kombi tomaria em tão pouco tempo. Mas, na primeira venda dos tragolés tivemos o primeiro susto, que ocorreu numa festa de um curso da UFRGS, onde estudamos: seria grande. Decidimos, então, criar uma página no facebook < https://www.facebook.com/projetokombi >. Outro susto, a página foi um sucesso, em pouquíssimo tempo alcançamos um grande número de “curtidas”: seria muito grande. Embarcamos, as quatro e outras amizades, de corpo e alma nessa “ideia”. Vendemos durante novembro, dezembro e janeiro em festas na rua e da universidade, na frente de bares, filas de shows. Susto: tínhamos uma encomenda. Susto: tínhamos três encomendas. Susto: não mais era preciso apresentar o Projeto Kombi, ao chegarmos éramos procuradas. Tudo deu certo para o Projeto, as vendas estavam ótimas, fizemos amizades, aprendemos muito, fortalecemos nossos laços. Mas, por mais que a maioria dos ventos soprasse ao nosso favor, é claro, tivemos dificuldades, não conseguiríamos, em três meses, dinheiro suficiente para comprar uma Kombi. Decidimos, então, alugar uma! No entanto, a burocracia para levar um carro alugado para outro país impossibilitou que a ideia se concretizasse por completo. Fomos ao Uruguai, o dinheiro arrecado pagou gande parte dos custos da viagem. E, como toda viagem para longe de casa, só faz a vontade de viajar crescer ainda mais (!), decidimos continuar com o Projeto Kombi, mas com uma nova ideia: comprar uma Kombi, vender os tragolés pela cidade de Porto Alegre durante o período letivo e auxiliar o transporte de bandas alternativas para shows nas ruas, e, com o dinheiro arrecadado, conhecer o mundo, e, claro, as pessoas que nele vivem, e a beleza que há nas mais distintas formas de vivê-lo. Susto: conhecemos a oportunidade de conseguir uma Kombi: você. Nosso caixa está vazio, não esperávamos uma oportunidade como esta logo agora. Mas nossa força de vontade é grande, e acreditamos que só com esse texto, que resume muito toda a história, dá pra perceber o quão importante a Kombi é pra cada uma de nós. Agora, fica pra você, qual será nosso próximo susto?

    Flora,

  10. Perdi meus documentos. Carteira de trabalho, diploma e certidão de nascimento. Acredito que nada acontece por acaso, é um sinal, uma seta neon dizendo é por aqui. Não gosto de burocracias e, realmente, penso em não tirar segunda via, pelo contrário, me desfazer de mais alguns, esses que a gente nem sabe pra que existe. Resumindo, queimaria uns documentos e a kombi se tornaria um palco itinerante e um expositor pra artesanato. É isso meu querido! Esse é meu "lado b". (A gente pode conversar sobre esse valor aí) Bj!

    Mariana

  11. Minha maior vontade sempre foi ter uma Kombi, mas as condições me ofertaram uma linda Brasilia bege 77, minha poderosa. Mas minha maior vontade ainda é a Kombi!Um colchão na parte de trás com uma boa mobiliá, isso é, lugares pra guarda coisas e um fogão, cortinas nas janelas, uns artesanatos pendurados, ah... Nunca fui muito sonhador, me contento muito com o simples e queria muito faze de uma Kombi minha morada, o mundo se torna pequena dentro de um VW. As praias sempre me completaram, Caxias do Sul nunca foi um bom lugar pra mim. Praias são a forma mais simples e bela que a natureza pode se mostra, a arreia e a água salgada, isso basta pra eleva a alma a uma paz inigualável... Imagina que louco seria percorrer todo litoral Americano!? O conhecimento é fonte da juventude, nunca pare de aprende, ate a mais inofensivo recém nascido tem muito a te ensinar, e com a Kombi acredito que aprenderei muito, com ele e pra ela. Enfim, minha ideia é fazer da Kombi minha morada.

    Douglas

  12. Eu sou cervejeiro caseiro, daqueles que não suporta o domínio das cervejas "ruins" no mercado e que deseja falar pra todo mundo pra parar de beber as cervejas da Ambev e mostrar que tem muito mais talento nesse mercado aqui mesmo, na nossa cidade. Se eu comprasse essa Kombi, iria instalar na lateral dela várias torneiras para servir diversos estilos diferentes de cerveja. Eu iria passear por todos os eventos da cidade, dando amostras e vendendo garrafas da minha cerveja com um nome muito local: Bucica! Ia mostrar pra todo mundo que aqui tem cerveja boa! Nossas cervejas tem ingredientes selecionadíssimos e são feitas com todo o carinho que merecem. Já fiz cervejas até com frutas plantadas em casa mesmo! Quer conhecer? www.bucica.com.br www.bucica.com.br/blog www.facebook.com/bucicabeer

    Eduardo

  13. Nós da banda Isidoro Pilsen queremos comprar uma Kombi pra viajar com a banda pelas cidades do Brasil com nossos equipamentos e fazer shows itinerantes gratuitos em praças, parques, instituições e qualquer lugar que não nos botarem pra correr. :p Esses somos nós: http://youtu.be/3Zb0a0pd1PI

    Adelino

  14. Nós da Liga Feminina de Bike Polo, acabamos de chegar de viagem, fomos para Curitiba no Fórum Mundial da Bicicleta, e disputar o torneio de bike polo em Curitiba. É a segunda vez que alugamos uma kombi para irmos para outros estados, mostrar o bike polo e levar equipamentos para que outras pessoas possam começar a jogar. Todo, final de semana, saimos para algum lugar jogar, ou dentro de São Paulo ou fora, mas cada uma vai por si, e seria muito legal termos uma kombi, para fazer essas viagens e apresentações. Tudo que fazemos é sem fim lucrativo, é para divulgar o esporte e tentar torna-lo profissional. Inclusive ganhamos um campeonato Latino Americano e uma copa no rio de bike polo. Somos 9 meninas dispostas a fazer uma vaquinha com ajuda de amigos para comprar a kombi. Bom é isso. Agradecemos!!

    Carina

  15. eu SONHO em viajar tenho 14 anos bem não tenho dinheiro para oferecer só vim aqui para contar minha historia.... bem eu sonho em ter uma kombi para viajar por ai se rumo e destino como um mochilão mais com a kombi fazer dela minha casa bem é só isso

    Gabriel

  16. Meu nome é Guilherme, Sou pizzaiolo no Pizza Sessions a 15 meses. Fazemos pizzas com farinha integral e massa orgânica. Todas elas são vegetarianas e veganas pois sempre que fazemos cursos ou sessões de pizza fazemos questão de falar para as pessoas sobre a relação das pessoas com o alimento e de como podemos mudar o mundo repensando a maneira de comer, veja bem, não falamos para as pessoas deixar de comer carne, apenas falamos que é possível sim ter hábitos mais saudáveis. Nesse 1 ano fomos para Caxias do sul, Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro, e Ilhabela realizando encontros de pizza. Gostaríamos de ser mais itinerantes e sair por aí levando nossos fornos e ensinando comunidades a fazer pizzas =) Quem somos noś: http://vimeo.com/74446150 Algumas viagens que fizemos: Floripa: http://vimeo.com/66111938 Caxias do Sul: http://vimeo.com/61746285 Outros encontros e vídeos: http://vimeo.com/user14069529/videos

    Guilherme

  17. Bem, eu já havia pensado em algo semelhante, mas confesso que minha idéia em uma Kombi ficaria muito charmosa.. Tenho uma livraria virtual, especializada em idiomas, com games, livros didáticos, literaturas, materiais para ensino, tudo, em vários idiomas tendo como carro chefe o inglês... Hoje, visito várias cidades, e clientes, porém a falta de espaço não permite levar muitas coisas para essas cidades, pricipalmente as do Oeste... Quem sabe essa Kombi não facilitaria minha mobilidade?

    Fefeca

  18. Olá Diego, Bom, depois que vi seu site - Bárbaro! sobre a venda de sua Kombi, fiquei pensando numa ideia. Não, eu não quero comprar a Kombi por isso não irei fazer nenhum lance, mas de qualquer maneira fiquei hj "viajando" na possibilidade se eu tivesse coragem de largar tudo e viver por ai, fazendo o que gosto, sendo levada por uma Kombi,.... (Talvez nem precise, largar tudo, isso ta me cheirando a desculpa esfarrapada,...) Então, minha ideia seria transforma-la em uma bibliokombiteca. Faria várias prateleiras encheria de livros de vários títulos para todas as idades e sairia por aí pela cidades pequenas e grandes convidaria os passantes a entrarem na Kombi ou melhor na bibliokombiteca, e, escolher o título que quisessem. E, também aceitaria doações de livros. Em algumas cidades eu faria contação de histórias (ainda irei fazer isso!!!) algumas vezes utilizando marionetes outras o rosto pintado e outros de cara limpa. E, sempre informava as pessoas que eu voltaria ali naquele mesma cidade em qualquer outro dia desses para recolher os livros emprestados e deixar outros. Enfim essa é minha ideia!! Mas o que será que falta pra eu realiza-la??? Beijos,

    Marcia

  19. Olá tenho o sonho de fazer uma viagem de kombi pela rodovia transamericana, que vai do chile ao alasca; de forma que a kombi será reformada para caber uma cama na parte de trás, bem como equipamentos de viagem

    Artur

  20. A ideia é que serão 3 manolinhos, cada um com o seu assento à janela! Quando for para viajar, cada um tem até onde deitar! Cabe carrinho de bebê, dá pra acampar e fazer as mais loucas aventuras! De São Bonifácio à Florianópolis. Durante as paradas de noite, só mesmo uma Morgentaller para refrescar! O pagamento, bem, só parcelado mesmo, heheh.

    Claudio